Rodrigo Moraes - Advocacia e Consultoria em Propriedade Intelectual

banner 1banner 2Livros

Lei municipal do RJ prejudica compositores


Lei sancionada pelo prefeito Cesar Maia (PFL-RJ), em seu art. 3º, viola frontalmente a Lei de Direito Autoral (Lei 9.610/98). O Poder Público tem, sim, de pagar direitos autorais ao ECAD.
A lei autoral não abre exceção para eventos "gratuitos" promovidos pela Municipalidade.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) não exclui a obrigação dos Municípios, conforme se observa nas seguintes decisões:

"Direitos autorais. Festa popular de carnaval realizada em logradouro
público, promovida pelo Município. Precedente da Corte.
1. Precedente da Corte assentou que o Poder Público não pode escapar
do pagamento de direitos autorais quando organiza espetáculos
públicos, salvo se de caráter beneficente, com a colaboração
espontânea dos respectivos titulares, o que não ocorre neste feito.
2. Recurso especial conhecido e provido.
(STJ, REsp 468097/MG, Rel. Min.CARLOS ALBERTO MENEZES DIREITO, 3ª Turma, Data do Julgamento: 26/06/2003)".

"CIVIL. DIREITO AUTORAL. ESPETÁCULOS CARNAVALESCOS PROMOVIDOS PELA MUNICIPALIDADE EM LOGRADOUROS E PRAÇAS PÚBLICAS. PAGAMENTO DEVIDO. UTILIZAÇÃO DE OBRA MUSICAL. LEI N. 9.610/98, ARTS. 28, 29 E 68. EXEGESE.
I. A utilização de obras musicais em espetáculos carnavalescos gratuitos promovidos pela municipalidade enseja a cobrança de direitos autorais à luz da novel Lei n. 9.610/98, que não mais está condicionada à aferição de lucro direto ou indireto pelo ente promotor.
II. Recurso especial conhecido e provido."
(RESp 524.873/ES, Rel. Ministro Aldir Passarinho Júnior, Recorrente: Escritório Central de Arrecadação e Distribuição - ECAD, Recorrido: Município de Vitória).

Pois bem. Eis o conteúdo da absurda lei municipal:

LEI N.º 4.468 DE 16 DE JANEIRO DE 2007

Veda a cobrança do pagamento de taxa para o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição – ECAD, nas festas religiosas.

Autor: Vereador Argemiro Pimentel

O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1.º Fica vedada a cobrança de taxa para o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição–ECAD, em festas promovidas por entidades religiosas, de caráter gratuito, e realizadas nos terrenos de sua propriedade e adjacências.

Art. 2.º A entidade religiosa fica obrigada a comunicar ao ECAD e ao Poder Executivo Municipal, com antecedência de setenta e duas horas, a realização do evento.

Parágrafo único. Na comunicação ao órgão fiscalizador, deverá contar o caráter do evento, a autorização do Poder Público para a realização do respectivo evento, caso seja necessário, e a citação da Lei que veda a cobrança.

Art. 3.º Estenda-se a vedação de cobrança da referida taxa a Bailes e Eventos promovidos em caráter gratuito realizados no Município do Rio de Janeiro.

Art. 4.º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

CESAR MAIA



Rodrigo Moraes

Av. Estados Unidos, 528, salas 1115 e 1116, Ed. Joaquim Barreto de Araújo,
Comércio, Salvador, Bahia, Brasil. CEP: 40010-020
Telefax: 55 71 3243-2549 / 55 71 3241-5711 | contato@rodrigomoraes.adv.br
/RodrigoMoraesAdvocacia

RANDERNET