Rodrigo Moraes - Advocacia e Consultoria em Propriedade Intelectual

Rodrigobanner 1Escritóriobanner 2Livros

Camelôs promovem "estréia" de filme com Wagner Moura

Autor: A TARDE


Desde a semana passada, cópias piratas do filme nacional “Tropa de Elite”, ainda inédito nos cinemas, tem circulado no comércio ambulante de Salvador. A estréia em longa ficcional do diretor José Padilha (do documentário "Ônibus 174") entra para a história como o primeiro filme brasileiro que chega aos camelôs antes mesmo de sua primeira exibição oficial, marcada para o dia 20 de setembro, na abertura do Festival de Cinema do Rio de Janeiro. A estréia comercial, inclusive em Salvador, está marcada para o dia 12 de outubro, antecipando em um mês a data anteriormente prevista para o lançamento devido à pirataria.


Vendido pelo mesmo preço médio cobrado pelos camelôs nos DVDs de filmes (R$ 5), "Tropa de Elite" já se tornou um sucesso nas vendas dos ambulantes, ocupando lugar de destaque nas bancas próximas as estações da Lapa e da Rodoviária, principais locais de venda da pirataria em Salvador.


Os ambulantes exploram o fato de se tratar de um material inédito e anunciam o produto como “o filme que nem ainda chegou ao cinema”. Alia-se a isso a posição de destaque em que se encontra a imagem de Wagner Moura na capa do DVD. Protagonista do filme, o ator baiano interpreta o vilão Olavo na novela Paraíso Tropical, da TV Globo.


Parte do sucesso vem do tema de “Tropa de Elite”, inspirado no livro “Elite da Tropa”, lançado em 2006, escrito pelos policiais André Batista e Rodrigo Pimentel, e pelo antropólogo Luiz Eduardo Soares (também autor do livro “Cabeça de Porco”, de Celso Athayde e MV Bill). Tanto livro como filme mostram o que os autores chamam de ‘ficção a partir de experiências reais’, já que André e Rodrigo foram membros do BOPE (Batalhão de Operações Especiais), considerada uma elite dentro da Polícia Militar que entra em ação em casos especiais.


No Rio de Janeiro, cidade onde se passa o filme, “Tropa de Elite” virou um fenômeno de vendas na cidade, entre todas as classes. Desde que a denúncia da cópia pirata chegou a Delegacia de Repressão aos Crimes Contra o Propriedade Intelectual, duas mil cópias piratas do filme foram apreendidas na cidade. Mas, o número em circulação na cidade é muito maior. Até mesmo o governador do Rio, Sérgio Cabral, foi acusado de ter assistido uma cópia pirata pelo colunista Mauro Ventura, em seu blog no site de “O Globo”. Cabral desmentiu o fato, mas Ventura continua afirmando que, segundo fontes, o governador teria visto o filme e mandado resolver o problema dos carros da polícia militar, terceirizando toda a frota antes ainda do filme entrar em cartaz, para não parecer que foi uma atitude motivada pela denúncia feita por “Tropa de Elite”.


O caso da pirataria do filme foi parar no último dia 16 de agosto na Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Propriedade Imaterial, que já identificou como vazaram as cópias de “Tropa de Elite”. Marcelo dos Santos Lima, um dos técnicos que trabalha na produtora Drei Marc, contratada para a legendagem do filme, fez uma cópia para presentear o ator Marcelo Mofati (que faz o Capitão Carvalho no longa), sem fins lucrativos. Marcelo Lima deve responder pelo crime de violação do direito autoral. Segundo Marcelo Barros, chefe do setor de operações da Delegacia, a investigação continua para descobrir quem utilizou a cópia para fins lucrativos.

Além da pirataria nos camelôs, “Tropa de Elite” foi parar na internet, onde, segundo dados da Associação Anti-Pirataria Cinema e Música (APCM), até a última sexta-feira, existiam 14 links com o filme completo, divididos em partes, que foram postados nos sites You Tube e Google Vídeos, além 97 links para baixar o filme por discos virtuais.

Crédito: Lucas Cunha, do A Tarde On Line

Outras Leis

Outros Artigos

Rodrigo Moraes

Av. Estados Unidos, 528, salas 1115 e 1116, Ed. Joaquim Barreto de Araújo,
Comércio, Salvador, Bahia, Brasil. CEP: 40010-020
Telefax: 55 71 3243-2549 / 55 71 3341-3697 | contato@rodrigomoraes.adv.br
/RodrigoMoraesAdvocacia

RANDERNET