Rodrigo Moraes - Advocacia e Consultoria em Propriedade Intelectual

banner 1banner 2Livros

Jovem que acusou estilista de plágio não receberá indenização por danos morais

Autor: Superior Tribunal de Justiça

O ministro Aldir Passarinho Junior, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou agravo (tipo de recurso) interposto pela jovem L.C.R. contra a empresa Sérgio Pacheco Alta Moda. Ela, que acusou o estilista de descumprir contrato de exclusividade, recorreu ao STJ porque a primeira e a segunda instância da Justiça gaúcha lhe negaram indenização por danos morais.

Segundo o processo, L.C.R. ajuizou ação de indenização por danos morais contra o estilista, por ter avistado uma debutante com um modelo idêntico ao seu no mesmo baile em que estava. Na ação, ela afirma que efetuou um pagamento à vista no valor de R$ 4,6 mil, com a garantia de que receberia uma peça exclusiva em todo o país. Mas isso não aconteceu.

Em sua defesa, o estilista argumentou que os vestidos não eram iguais, pois não tinham a mesma modelagem, corte, bordado nem movimento. Para ele, não existe o dever de ressarcir, uma vez que a debutante colocou uma fotografia no Orkut usando o vestido. Essa atitude demonstra um ato de orgulho e não de vergonha.

Ao analisar o caso, o ministro Aldir Passarinho Junior destacou que não houve obscuridade nem contradição no acórdão recorrido, não tendo sido violado, assim, o artigo 535 do Código Processual Civil (CPC). Além disso, quanto ao cerne da questão, a revisão do julgado esbarra necessariamente no óbice da Súmula 7, segundo a qual “a pretensão de simples reexame de prova não enseja recurso especial”. O ministro sustentou, ainda, que o Tribunal analisou e avaliou corretamente o caso, entendendo que não foi comprovado qualquer dano passível de indenização.

Ao negar o agravo, o ministro manteve a decisão do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul que negou o pedido de indenização por danos morais feito por L.C.R.


Autor(a):Marcela Rosa

Outras Novidades

07/04/21 - Hotel deve pagar direitos autorais pela reprodução de música em quartos, decide STJ
24/02/21 - Direito moral do autor é imprescritível, mas pedido de indenização deve ser ajuizado em três anos
05/10/20 - Danos morais gerados a pessoa jurídica por venda de produtos falsificados podem ser presumidos
30/09/20 - Artista deve ser indenizado por uso comercial não autorizado de grafite em área pública
15/09/20 - Terceira Turma mantém condenação da Oi por uso não autorizado de fotos em cartões telefônicos
09/08/20 - TRF3 rejeita pedido de anulação do registro da marca "Botox"
28/07/20 - Lei de Turismo não impede cobrança de direitos autorais em estabelecimentos de hospedagem
15/07/20 - Confirmada anulação das marcas Doralflex e Neodoralflex por conflito com registro do Dorflex
16/05/20 - Registro no INPI dá ao titular do nome todos os direitos inerentes
07/04/20 - Terceira Turma nega recurso de fabricante de bebidas que registrou nome similar a Coca-Cola
14/03/20 - Registro de nome empresarial não define prescrição de ação sobre uso indevido de marca
14/03/20 - Editora de revista de moda e beleza não consegue anular registro da marca de empresa de cosméticos
10/03/20 - Direito autoral deve ser respeitado mesmo que foto esteja disponível na internet
22/02/20 - Para Quarta Turma, livro didático que reproduziu poema de Cecília Meireles não violou direitos autor
08/01/20 - OAB questiona medida provisória que extingue cobrança de direitos autorais em quarto de hotel

Outras Leis

Outros Artigos

Rodrigo Moraes

Travessa Miguel Arcanjo de Santana, Rio Vermelho, 01, Sala 201                  Salvador-BA | CEP: 41.950-670                                                                      Telefax: (71) 3243-2549 / (71) 3241-5711 | WhatsApp: (71) 9659-9475                        contato@rodrigomoraes.adv.br | Instagram: @rodrigomoraesadvocacia | /RodrigoMoraesAdvocacia 

RANDERNET